sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Nossa Memória Virtual


O advento da tecnologia digital é também um avanço para as questões ligadas ao memorialismo e à coleção de dados e informações, que, embora despretensiosamente, tornam-se importantes elementos de rememoração. Explico. Na era digital em que estamos inseridos, o desejo de reunir e gravar as informações que nos rodeiam é cada vez maior.
Hoje, qualquer aparelho de celular é provido de uma câmera digital, que está pronta para o registro de momentos especiais. Às vezes, por causa deste acesso facilitado a uma câmera, todo momento torna-se especial. Basta clicar e pronto.
Aliando isso às redes sociais, através da Internet, como Orkut, Twitter e blogs dos mais variados tipos, a memória faz-se cada vez mais presente. Isso, por causa da facilidade de compartilhar informações pessoais com o resto do planeta.
Muito em função da Pós-Modernidade, que nos atropela com sua velocidade e com a pulverização da materialidade, o indivíduo sente necessidade de manter-se vivo, de fazer-se presente neste mundo virtual que nos envolve.
Talvez por isso, explica-se o excesso de exposição da individualidade: a escrita de blogs, a postagem de mensagens estritamente pessoais via Twitter, o compartilhamento de imagens e fotografias no Orkut e no Facebook, além do registro de vídeos e a divulgação dos mesmos através do Youtube. É como se precisássemos de nos revelar, revelando nossas emoções e experiências.
A era digital chegou e por mais atual que ela seja, representa também e cada vez mais claro, um desejo de arquivar a vida por meio da exposição da individualidade. Nunca se viu tanto autorretrato como agora. Nunca se viu tanta escrita de si, tanta exposição pessoal, tantos registros de memória.
A pós-modernidade luta contra a falta de tempo e de espaço. Talvez por isso, bastam 140 caracteres para contar um fragmento da existência pessoal. A maioria das pessoas que utilizam esses recursos de coleção da memória está em busca da elaboração de um grande livro da vida, cujas páginas são redigidas por fragmentos no universo virtual das redes sociais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário